Arquivo da tag: charlatanismo

Sobre o curandeirism… Digo, a Medicina Alternativa.

Do You Believe in Magic?, um livro bastante interessante falando sobre a falta de métodos para se validar a tal da “medicina alternativa”, que em minha opinião deveria se chamar “curandeirismo complementar” – pois tanto medicina como alternativa são termos inadequados, pois não se trata de ciência e muito menos algo que possa ser usado como uma alternativa viável em casos que a pessoa necessite de tratamento médico e possa ter consequências graves sem ele.

Por mais que a medicina moderna seja limitada, ao menos a parte dela que funciona é comprovada por métodos científicos. Até hoje me parece irreal que homeopatia e acupuntura sejam aceitas como especialidades médicas. Oras, se for assim, por que os conselhos médicos consideram a ortomolecular charlatanismo? Ela tem o mesmo nível de evidência científica dessas outras duas (nenhum, a acupuntura apenas em alguns casos bem mais específicos e de espectro muito menor do que a miríade de “patologias” que ela acaba sendo usada como se tivesse fundamento).

Em minha opinião, esses cursos deveriam ser técnicos para quem quisesse fazer e mancham o nome da Medicina, que, nos tempos de estudos, pesquisas e tecnologia, é cada vez mais uma profissão científica. Afinal, os “médicos alternativos”, em sua maioria, já se escoram frequentemente no fato de suas “especialidades” não possuírem base científica, então não é incomum eles simplesmente dispensarem o paciente com palavras gentis como “tentei te ajudar mas você deve procurar outros caminhos”. Isso não é medicina como eu a encaro. Medicina é cuidar do paciente, é achar meios para tratá-lo e alternativas. É sempre estar presente para ele.

Na medicina com base científica, por mais imperfeita e limitada que ela seja, geralmente encontramos alguém para ou alguma forma de reduzir o sofrimento do paciente. Não desistimos dele e falamos ‘pode procurar outro tratamento e Deus te guie meu querido’

Palavras do autor do livro:

“Gostaria que tivéssemos o mesmo ceticismo com a medicina alternativa que temos com a medicina moderna. Se acupuntura é bom, vamos descobrir como! Apontar para as estrelas não dá.

As pessoas que vendem esses produtos ganham dinheiro e podem bancar um teste clínico. Estudos já mostraram que você não tem mais chance de baixar o colesterol com o extrato de alho do que com o placebo. O consumidor merece testes. E extrato concentrado de alho pode causar efeitos colaterais.

É desconcertante que as pessoas tenham a ideia de que algo é seguro e funciona quando pode não funcionar e não ser seguro. Essa indústria é colocada como intocável. O que surpreende é que as pessoas acham que essas fabricantes são empresas familiares, que os produtos são feitos por elfos em montanhas.”

Entrevista completa com o autor do livro.

20131125-045538.jpg

Anúncios